Roberto Carlos, o galã do cinema

RC

Você talvez não saiba, mas sua mãe ou sua avó sabem. Roberto Carlos já foi um galã do cinema, daqueles de arrastar multidões às salas. Seus filmes: “Roberto Carlos em Ritmo de Aventura”, “Roberto Carlos e o Diamante Cor de Rosa” e “Roberto Carlos a 300 Quilômetros por Hora” foram sucessos de bilheteria e impulsionaram ainda mais alguns hits do cantor nas paradas de sucesso. Canções como “Eu Sou Terrível”, “Como é Grande o Meu Amor por Você” e “Quando” marcaram o personagem que na verdade é o próprio cantor, só que, na trama do roteirista Paulo Mendes Campos, Roberto Carlos é perseguido por uma quadrilha internacional. Dirigido por Roberto Farias, o primeiro longa da carreira do Rei foi lançado em 1968. A trilha sonora, que é um dos discos mais emblemáticos de Roberto Carlos, que leva o mesmo título, foi considerado pela revista Rolling Stone como o 24º melhor disco brasileiro de todos os tempos. Ninguém contesta. O disco é realmente icônico.

Recentemente, Roberto Carlos voltou às páginas dos jornais com o lançamento do livro de Paulo Cesar de Araújo “O Réu e o Rei”, publicado pela Companhia das Letras. A obra instigante conta os bastidores da batalha judicial que o cantor travou com o biógrafo depois de “Roberto Carlos em Detalhes”, livro que foi censurado, em 2006, o que provocou grande polêmica sobre a liberdade de expressão. Bom, deixando a polêmica de lado, além de ser bastante interessante, tantas décadas depois, conhecer esta faceta do ícone da música brasileira, “Roberto Carlos em Ritmo de Aventura” guarda detalhes interessantes como o fato de o próprio cantor – isso em 1967 – ter gravado as cenas mais perigosas, inclusive a que ele atravessa de helicóptero, por dentro, o Túnel do Pasmado, no Rio de Janeiro. A cena é clássica.

O longa mostra também tomadas do Corcovado, do Maracanã e da Baía de Guanabara, além de outras realizadas em São Paulo e em Nova York. Como não poderia ser diferente, considerando que Roberto Carlos já era muito famoso durante as filmagens, tudo o que foi captado no Rio de Janeiro causou bastante tumulto entre os fãs e curiosos. Já os registros feitos no Cabo Kennedy, nos Estados Unidos, contou com o apoio da NASA, que autorizou as filmagens nas torres de lançamento dos foguetes. Show, não? Neste filme, participaram Erasmo Carlos, Reginaldo Farias e Wanderléa.

Assista ao filme completo “Roberto Carlos em Ritmo de Aventura”!

Aí pulamos para outro filme: “Roberto Carlos e o Diamante Cor de Rosa”. Um título a la 007. Neste enredo, o trio da Jovem Guarda retorna. Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléia estão no Japão e em uma loja de antiguidades Wanderléia adquire uma estatueta bem antiga, que acabam por descobrir que dentro da peça há um mapa do tesouro. Começa, então, a aventura dos três heróis para decifrar o mapa e se livrar de outros interessados no tesouro que passam a persegui-los. “Roberto Carlos e o Diamante Cor de Rosa” estreou em 1970 e também foi dirigido e produzido por Roberto Farias. Para perceber a dimensão do sucesso do filme, ele foi o mais visto do ano 1970. Levíssimo, o enredo é gracioso por retratar certa ingenuidade da juventude dos anos 1960. Visto hoje, é claro que a obra tem outro impacto.

Assista ao filme completo “Roberto Carlos e o Diamante Cor de Rosa”!
https://www.youtube.com/watch?v=zI6kS2I9QCI

E por fim, temos “Roberto Carlos a 300 Quilômetros por Hora”, um filme também de Roberto Farias. Talvez diria ele, o mais trabalhoso de todos, uma vez que o cantor, no auge do auge, demorava muito para cumprir a agenda das gravações. A trama desse longa é um pouco diferente. Roberto Carlos não é mais o famoso cantor e sim um mecânico de uma concessionária que, apaixonado por carros e seguro do talento de correr com eles – no caso, os carros dos clientes – forma uma equipe de automobilismo e decide tentar ser um piloto profissional. No elenco está Erasmo Carlos, Raul Cortez, Mário Benvenutti, Reginaldo Farias, entre outros. É interessante notar, nos três filmes, que os personagens de Roberto Carlos não se envolvem amorosamente com nenhuma mulher. Essa foi uma exigência do próprio cantor. Mistério. Para ver, voltar ao passado e se deliciar com o rei, galã de cinema, estão aí os três filmes.

Assista ao filme completo “Roberto Carlos a 300 Quilômetros por Hora”!
https://www.youtube.com/watch?v=YwQ3kqIKuGE

Eliana de Castro Written by:

Jornalista pós-graduada em Cultura pela FAAP, é mestranda em Ciência da Religião pela PUC-SP. Contato: eliana.faustomag@gmail.com

Comments are closed.