Série Além

Quando pensei na Série Além – Entrevistas do outro mundo quis apenas colocar no papel um diálogo que eu teria se fosse possível, uma entrega que eu me permitiria se a vida me presenteasse com o milagre de estar diante deles.

Creio que todo escritor preferido é um grande amigo. Privilégio de poucos, porém, é tê-los na vida real. Conhecê-los, tomar chá com eles, dividir pensamentos que ainda que não tenham valida alguma, proporcionam momentos únicos apenas porque foram divididos com eles.

Embora seja o meu caso, com dois ou três deles – a maior parte desses meus amigos já morreu. Seus pensamentos, no entanto, foram tão inspiradores que através desse veículo extraordinário que é o texto, que rompe espaço e tempo, é possível conversar com eles pela imaginação.

Essa brincadeira, realizada, contudo, de forma seriíssima, tem o intuito apenas de levá-lo, meu caro leitor, e essa dimensão inclassificável do existir que acontece na minha mente e coração e na sua mente e coração. E que às vezes, de maneira milagrosa, pode acontecer também em nossas mentes e corações ao mesmo tempo.

Série Além - Entrevistas do outro mundo.
Série Além – Entrevistas do outro mundo.

Emil Cioran é um abraço no abismo. O autor trágico vivido no século XX é o desvario da elegância em frases capazes de levar aos extremos. Nascido em 1911, em Rasinari, Romênia, formou-se em Filosofia pela Universidade de Bucareste e o primeiro livro lançou aos 22 anos em profundo e espantoso lirismo. Em 1937, Cioran decide morar na França, onde escreve os demais livros e deixa para a eternidade obras das mais trágicas do Pensamento. O filósofo romeno morre em 1975.

Albert Camus arrombou as portas do absurdo. O autor trágico vivido no século XX deu a quem que não tem esperança o nome de estrangeiro. Nascido em 1913, em Mondovi, Argélia, forma-se em Filosofia pela Universidade de Argel e em 1938 muda-se para a França. Em 1957, ganha o Prêmio Nobel de Literatura e deixa de vez a marca na história do Pensamento como um dos grandes autores das sombras. O filósofo e ensaísta argelino morre em 1960.