Sophia Loren, Brigitte Bardot ou Marilyn Monroe?

Sophia_Loren_Renato_Janine_Ribeiro

Olha só a petulância. Namorar quem, Sophia Loren, Brigitte Bardot ou Marilyn Monroe? Como se estivesse a meu alcance. Como se além disso eu pudesse ter a mulher que quisesse na cama que escolherei. Sem pedra no meio do caminho – não, misturei os poetas. Chega de devaneio e vamos pegá-las, uma por uma.

Bem, depende claro se é amar, namorar ou pegar. Elas são ou foram muito diferentes. Eu não gostava de Sophia Loren quando era criança ou adolescente, não sei realmente por quê. Na época, havia até uma rivalidade entre ela e Gina Lollobrigida, que hoje está bem esquecida. Li em alguma revista que um admirador, talvez brasileiro, talvez italiano, que produzia algum produto refrigerado, tinha chamado uma linha de alguma coisa fria em homenagem a ela, de Lollofrigida. Nem me passou pela cabeça que isso pudesse ter outro significado e que não fosse elogioso. Bardot e Monroe foram bombshells totais. Loren foi fidelíssima a Carlo Ponti. Ele era casado anteriormente e, por isso, quando ele ou ela pisavam na Itália, eram presos por adultério. Inconcebível isso hoje. Parece outro milênio! (e era). Acho que eu não gostava dela quando era criança porque as revistas católicas faziam campanha contra ela por causa disso. Mas ela amou mesmo o produtor, ficou com ele o tempo todo. Bardot e Monroe foram bombas sexuais, altamente explosivas, mas muito diferentes.

Marilyn Monroe Renato Janine Ribeiro

Monroe era vulnerável demais, dessas mulheres que podem dar para todo mundo, mas que fazem isso não por liberdade e sim por fragilidade, uma vontade doida por ser amada, uma descrença de que alguém pudesse amá-la de verdade. Foi talvez uma das mulheres mais sexy do planeta, mas não se valorizava. Talvez por causa da história desgraçada de seu começo na vida. Ela foi uma mulher muito ferida.

Brigitte Bardot Renato Janine Ribeiro

Bardot, o contrário. Era de família burguesa. Quando começou a namorar Roger Vadim, a cada ato sexual dos dois ela perguntava a ele se já era mulher, e ele dizia, só um pouquinho. No dia em que ele disse sim, agora você já é uma mulher, ela abriu a porta-varanda do apartamento dele, saiu na sacada, pelada, e gritou: sou mulher! Je sui une femme. Não devia ter nenhuma insegurança. Foi trocando os homens, mas não pela fraqueza de Marilyn. Das três, devia ser a mais egoísta.

Loren foi realmente a única capaz de amar. Além de ser absolutamente linda é a mais adequada para um romance feliz!