Sobre a FAUSTO

FAUSTO é um trabalho autoral. Como única idealizadora e mantenedora, se você está aqui é porque deseja saber quem sou. Ou não necessariamente. Talvez, algo apenas o tenha incomodado a ponto de se perguntar: quem realiza esse trabalho?

Pois bem. Muito prazer, sou Eliana de Castro.

Graduada em Jornalismo, sou pós-graduada em Jornalismo Cultural pela FAAP, além de mestre em Ciência da Religião pela PUC-SP.

Cheguei ao nome FAUSTO quando reuni uma grande paixão e muito do que acredito. Sim, FAUSTO é pela grandíssima obra de Goethe, mas também porque o nome significa prosperidade.

Literatura é minha fortuna. Gosto muito de um pensamento do escritor argentino Alberto Manguel que diz: “Primeiro você descobre a vida nos livros e depois você vai vivendo e a vida começa a soar um déjà vu.

Os livros são minha grande paixão e deles jorram a inspiração que aqui transformo em trabalho: sou uma escritora romântica, melancólica; trágica também, é verdade. É assim que vejo o mundo. Creio que é possível dizer que a FAUSTO é tecida com fios perdidos do Romantismo, minha área de pesquisa no universo acadêmico.

O que você vai encontrar na FAUSTO?

Entrevistas e artigos que partirão desse ponto de vista particular, escritos sempre em prosa poética.

Eliana de Castro, autora da FAUSTO.

Você vai ler artigos especiais de convidados como os filósofos Luiz Felipe Pondé, Renato Janine Ribeiro, Alex Catharino, Ed René Kivitz, entre outros.

FAUSTO posiciona o meu trabalho para um leitor singular: aquele que também é apaixonado por livros e busca nas discussões profundidade e – por que não? – criatividade.

Talvez por isso seja importante dizer que em algum momento de minha trajetória também estudei Cool-Hunting, o que refinou muitíssimo minha capacidade de ler nas entrelinhas, mas a verdade mesmo é que foi minha forma inflamada de escrever que me trouxe até aqui.

As motivações que levam o homem a se expressar por meio da arte são sempre cheias de ambiguidades. O que isso quer dizer?

Quer dizer que podemos fazer diversas leituras de uma mesma expressão. Quanto mais essas motivações forem controversas, mais caminhos se abrirão. E, sempre, para a única coisa que realmente importa. Por isso também é FAUSTO: a busca infinita por sentido.

 

FAUSTO
Que sou eu, se não posso alcançar, afinal,
A coroa com louros da nossa humanidade,
A que todos almejam com tanta ansiedade?

MEFISTÓFELES
Não és mais, meu senhor, do que és: um mortal!
Perucas podes ter, com louros aos milhões.
Alçar-te com teus pés nos mais altos tacões,
Serás sempre o que és: um pobre ser mortal!

Johann Wolfgang von Goethe, 1808.

 

Se desejar falar comigo, escreva para eliana.faustomag@gmail.com
Ou clique no ícone abaixo e siga a FAUSTO no Facebook.

 

fausto-mag-facebook-botao

Quem mantém a FAUSTO?
Mantida com recursos próprios da autora, FAUSTO não recebe qualquer tipo de patrocínio público ou privado e não trabalha com publieditoriais. Parcerias comerciais podem ser feitas mediante negociação que isentam o trabalho intelectual de todo e qualquer tipo de interferência.

Envio de livros ou demais materiais:
Caso deseje enviar livro já publicado, será como cortesia, sem nenhuma obrigação de menção, resenha ou mesmo entrevista com o autor. Tais sugestões, contudo, são sempre bem-vindas.