Russell Kirk – Aquele do Bem e do Belo

Cansou de conversar sobre política e perceber que está apenas reproduzindo ideias de outras pessoas? Deseja pensar por si mesmo e chegar às próprias conclusões? Um ponto de partida para um mergulho mais profundo – e fluidamente agradável – é a coleção Biblioteca Crítica Social, lançada pela É Realizações e coordenada pelo filósofo Luiz Felipe Pondé.

A ideia é deixar de lado todo o tipo de preconceito e abrir-se para o diálogo. Toda vez que ler ou ouvir a palavra conservador, por exemplo, não precisa ficar com medo. Formar repertório é importante para fundamentar todo o tipo de conversa e também é imprescindível para construir um pensamento cada vez mais livre. Sim, conversar sobre política vai muito além da disputa preguiçosa entre “coxinhas” e “petralhas”.

Entre os autores que fazem parte da coleção Biblioteca Crítica Social está Russell Kirk. Quem escreve sobre o filósofo político americano em um texto para lá de deleitoso é o historiador brasileiro Alex Catharino. Russell Kirk – o peregrino na terra desolada faz um apanhado geral de quem foi o escritor e quais foram suas principais ideias.

Russell_Kirk

 

Viajar na vida e obra de Russell Kirk é antes de tudo entender quem influencia parte do pensamento coletivo, o que acaba influenciando, obviamente, o pensamento individual. Nas discussões cotidianas sobre política, nem sempre é um fato a que se atém. Os “pais” das grandes teorias que fundamentam os principais grupos políticos podem ser facilmente esquecidos diante de um monte de achismos. É por isso que todos os autores que escrevem para a Biblioteca Crítica Social são especialistas. Alex Catharino, por exemplo, é pesquisador residente no Russell Kirk Center for Cultural Renewal e teve acesso aos textos originais de Russell Kirk por meio da esposa do filósofo, Annette Y. Kirk – o que é um grande privilégio.

Esse cuidado, contudo, não é uma gentileza da parte do autor – ou do coordenador. Gentileza é, na verdade, a elegância que emprestam aos textos. Luiz Felipe Pondé apresenta Alex Catharino e presta a Kirk um singelo tributo com um texto sensível – como poucas vezes faz, mas quando o faz é sempre com muita beleza. Catharino, por sua vez, não perde de vista o leitor não familiarizado com o autor e o seu universo. O historiador mescla com equilíbrio trechos da biografia de Kirk e suas ideias. É claro que o resultado não poderia ser outro: um livro instigante.

Em 1953, Russell Kirk publicou um livro que influenciou muita gente e foi depois dessa obra que o escritor se tornou muito famoso. Mas, segundo Catharino, a obra de Kirk não pode se reduzir ao livro The Conservative Mind (o título em português será lançado pela É Realizações em breve). Mas foi esse livro que sistematizou os princípios fundamentais do conservadorismo moderno, a saber, o que começou no início da Revolução Francesa, que, grosso modo, existe para tentar preservar o que há de melhor no mundo, o que de forma alguma significa ser contra mudanças, o que é obviamente inevitável.

Quem já ouviu falar em Russell Kirk sabe que o filósofo tinha uma grandessíssima afinidade com a obra do poeta T.S. Eliot. Não é exagero dizer, e Alex Catharino deixa isso muito claro também em Russell Kirk – o peregrino na terra desolada, que os dois caminhavam juntos em suas visões de mundo. Outra grande influência de Russell Kirk foi o filósofo político irlandês Edmund Burke. Onde todos eles se encontram, é ler para descobrir.

A verdade é que Russell Kirk – o peregrino na terra desolada é uma convidativa antessala para o pensamento de Russell Kirk.
***

LEIA TAMBÉM:
Pondé assina o mais quente dos guias politicamente incorretos

Fausto_Facebook_Botão

Fausto leu e recomenda. Clique na capa e adquira já o seu exemplar!

Russell_Kirk_O_Peregrino_na_Terra_Desolada

Eliana de Castro Written by:

Jornalista pós-graduada em Cultura pela FAAP, é mestranda em Ciência da Religião pela PUC-SP. Contato: eliana.faustomag@gmail.com

Comments are closed.